Independentemente do modelo ou da montadora, existe uma recomendação que vale para todos: seguir corretamente as instruções de manutenção e troca dos componentes. A conservação adequada do veículo é essencial para mantê-lo em funcionamento da forma como foi projetado, o que evita dores de cabeça e imprevistos financeiros.

“A importância da manutenção preventiva, como a troca de óleo, está na conservação das características originais do projeto”, aponta José Pucci, professor de engenharia mecânica da Universidade Presbiteriana Mackenzie. “Com isso, você se salvaguarda de danos que podem ser evitados e tende a prolongar a vida do equipamento, com menos problemas”, afirma.

A orientação é pertinente para qualquer tipo de máquina – inclusive para o universo dos equipamentos de grande porte, utilizados nas áreas de construção pesada e trabalho agrícola. Não é para menos: imagine a complexidade (e o custo) do conserto de uma máquina dessas.

“Todo equipamento é uma máquina que pode falhar, mas com percentuais muito reduzidos se as manutenções forem feitas adequadamente”, reforça Pucci. “Por exemplo, existem normas que ditam por quantas horas o óleo mantém suas características quando submetido a diferentes solicitações. À medida que passa por esses esforços, ele pode perder suas características e não proteger como deveria.”

A atenção não se limita à data da manutenção: segundo Pucci, utilizar os produtos corretos para o serviço é essencial. “O fabricante determina a vida útil do óleo em função do projeto mecânico”, afirma. “É preciso escolher o lubrificante correto e não misturar dois tipos diferentes”, alerta.

É por isso, claro, que não se devem utilizar lubrificantes destinados a carros de passeio na manutenção de máquinas pesadas – da mesma forma como não é recomendável colocar um óleo sintético em um motor que pede compostos minerais.

As fabricantes de equipamentos pesados, por sua vez, respondem à necessidade de manutenção com a constante evolução de seus produtos e fazendo da oferta de serviços de manutenção uma parte fundamental do contato com seus consumidores.

A John Deere, uma das maiores empresas de máquinas agrícolas do mundo, mantém, em seu portfólio de produtos, lubrificantes especialmente formulados para seus equipamentos. O último lançamento, o Plus-50™ II, trouxe como principais inovações o aumento da eficiência e melhoria do custo-benefício.

Formulado especialmente para prevenir oxidação, depósito de sedimentos e corrosão, o Plus-50™ II também controla o surgimento da borra, conhecido inimigo dos motores, que pode aumentar o desgaste entre as peças e provocar quebras. O resultado é a redução dos custos de manutenção e do tempo de inatividade da máquina, além da extensão do intervalo de troca de óleo. No final das contas, seja para um carro ou para um equipamento de trabalho pesado, as necessidades de todos que querem cuidar bem de suas máquinas passam por um ponto em comum: a qualidade da manutenção.

Fonte: Quadro Rodas
Foto Capa: Vânia Santana
Jornalismo Portal Panorama

Deixe uma resposta

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui