Novo Mundo Artigo

Quase 11 mil esteticistas e técnicos em estéticas serão beneficiados com a lei sancionada pelo presidente da República, Michel Temer, que regulariza essas profissões. A nova norma vai valorizar as atividades desses profissionais e estabelecer mais segurança nas relações comerciais entre eles e os consumidores.

Confira os detalhes dessa mudança:

Formação
A partir de agora, quem desejar trabalhar como esteticista e cosmetólogo precisará realizar um curso técnico ou de nível superior na área. As aulas deverão ser realizadas em instituição de ensino no Brasil reconhecida pelo Ministério da Educação. No caso do técnico, o profissional também pode exercer a profissão com a comprovação do exercício da atividade há pelo menos três anos.

Técnico em estética
Com a lei, as competências de cada profissional ficaram bem definidas. Os técnicos poderão executar procedimentos estéticos faciais, corporais e capilares; solicitar parecer de outro profissional que complemente a avaliação estética; e observar a prescrição médica apresentada pelo cliente ou solicitação posterior de exame médico ou fisioterápico para avaliação da situação.

Esteticista
Já o esteticista de nível superior poderá exercer as atividades de esteticista e cosmetólogo. Ele será o responsável pelos centros de estética, pelos pareceres técnico-científicos, estudos e pesquisa de mercado ou experimentais relativos à estética e à cosmetologia em sua área de atuação.

Ética
Para garantir a boa qualidade dos serviços prestados, os profissionais terão de observar princípios éticos, atuar com transparência e realizar um atendimento adequado. Ou seja, os clientes deverão sempre ser informados sobre técnicas, produtos utilizados e orçamentos dos serviços. Além disso, os esteticistas deverão cumprir normas relativas à biossegurança e à legislação sanitária.

Jornalismo Portal Panorama

Deixe uma resposta

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui