A produção estimada da safra de grãos 2017/2018 deverá ter aumento de 466,3 mil toneladas (0,2%) em relação ao levantamento realizado no mês passado, podendo chegar a 226 milhões de t. Em fevereiro, o número estimado era de 225,6 milhões de t. Os dados são do Sexto Levantamento da Safra de Grãos 2017/2018, divulgado nesta quinta-feira (8) pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

O aumento resulta do avanço da colheita de soja, principal cultura do país, que tem confirmado boa produtividade. Apesar disso, a safra atual deverá ficar aquém da que ocorreu em 2016/2017, em termos de produção, a maior de toda a história (237,7 milhões de t). O estudo indica que o recuo agora é de 4,9%. Mesmo assim, o país ainda deverá colher a segunda maior safra de todos os tempos.

Além da soja, outro produto que se destaca é o milho. As duas culturas seguem na liderança. No caso da soja, a produção está estimada em 113 milhões de t, enquanto o milho deverá chegar a 87,3 milhões de t. Essa quantidade está distribuída entre a primeira (25,1 milhões de t) e segunda safras (62,2 milhões de t).

Há destaque também para o aumento da produção de algodão em pluma, que agora é estimada em 1,9 milhão de t, representando aumento de 21,3% em relação à safra passada.

Área
Na área plantada, as estimativas apontam para aumento de 0,3% em relação à safra anterior, atingindo 61 milhões de hectares. A soja deverá ter 1,1 milhão de hectares a mais do que no ano passado. Soja e algodão foram responsáveis pelo aumento, por serem culturas que têm apresentado maior rentabilidade e liquidez.

Com o término do plantio da segunda safra, a área de algodão teve novo incremento, respaldado pelas boas perspectivas na comercialização. A estimativa atual é de que a área brasileira deste produto supere 1,1 milhão de hectares, 21,8% maior do que na safra anterior, com incremento equivalente a 204,3 mil hectares.

Jornalismo Portal Panorama

Deixe uma resposta

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui