Cães & cia

Meu cão tem caspa, e agora?

Foto: Vânia Santana / PaNoRaMa
Gostou? Então ajude a divulgar. Compartilhe!

Colunista: Jackelyne Dutra – CRMV-GO 05767

Conhecida como seborreia canina, essa dermatopatia é caracterizada por uma série de transtornos na camada córnea da pele que alteram a produção de sebo e queratina.

Tal como os humanos, os cachorros também podem sofrer de caspa e como no nosso caso, a caspa pode estar relacionada com uma dermatite seborreica oleosa ou pode se tratar de seborreia seca, ou mista.

Troca de estações do ano, mudanças bruscas na temperatura, redução da umidade do ar e exposição a substâncias alergênicas ou a produtos de limpeza são alguns dos fatores ambientais. Desidratação e falta de gorduras saudáveis na alimentação estão ligados à dieta. Na manutenção da pelagem os fatores seriam: escovar pouco os pelos, dar banho em excesso ou deixar o cão em más condições gerais de higiene. Pele seca ou descamando pode ser o resultado de banhos em excesso. Para que a oleosidade natural da pele seja preservada, o ideal é dar um ou dois banhos por mês.

Ela pode ser primária ou secundária a alguma outra patologia, seja de pele ou não.

A seborreia primária pode ter fundo medicamentoso, endócrino, problemas com a alimentação como a falta ou excesso de gordura, proteína, vitamina A, zinco, além da má absorção e problemas no metabolismo. Ela é mais comum em determinadas raças predispostas, como por exemplo:

Teckel, Beagle, Cocker Inglês, Retriever do Labrador etc.; o fator hereditário ainda é muito discutido nesses casos.

Já a secundária, pode ter como causa as dermatites, sensibilidade a produtos que são passados no animal como o xampu, o tempo muito seco, dermatopatias (atopia, alergia a picada de pulgas e carrapatos), doenças hormonais (hipotireoidismo), dentre outras patologias metabólicas.

Conhecer os sintomas pode ajudar a prevenção. O sintoma mais óbvio é, claro, a presença dos flocos brancos, parecidos com a caspa humana. Estes flocos são geralmente células mortas da pele. No caso das infestações por fungo ou ácaros, coçar ou morder a pele excessivamente são sinais, assim como as feridas causadas por estes hábitos.

Um excesso de oleosidade ou ressecamento da pele; pelo opaco, sem brilho; queda acentuada de pelos; pode haver ou não coceira.

A pele do animal deve ser avaliada pelo médico veterinário para encontrar a causa da caspa no cão e receitar o tratamento adequado.

Se o cão tiver uma forma comum de caspa, causada por mudanças atmosféricas súbitas, dieta imprópria ou cuidados deficitários com a pelagem, a solução pode ser simples, basta fazer mudanças, como regular a quantidade de banho e de escovação, melhorar a dieta, trocar os produtos do banho etc. Cães com produção excessiva de caspa podem requerer shampoos específicos. É importante jamais usar shampoos de humanos para caspa, pois o pH da pele é diferente em cães e pessoas e nossos produtos podem até mesmo ser tóxicos para eles.

Lembrando que, as doenças de pele demoram muito tempo para se curarem, e requer parceria e compromisso do proprietário para com o tratamento estabelecido pelo veterinário. Os bichinhos agradecem, e vale muito a pena ver nossos pets lindos e saudáveis.

Colunista: Jackelyne Dutra – CRMV-GO 05767
Foto Capa: Vânia Santana
Jornalismo Portal Panorama

Aviso importante:
O conteúdo exibido nesta seção (COLUNA), apresenta caráter meramente informativo. O Portal PaNoRaMa não se responsabiliza pelo conteúdo dos colunistas que assinam cada texto, nem pelas decisões baseadas nas opiniões e recomendações contidas nesta seção. Assim, o Portal PaNoRaMa se exime de qualquer responsabilidade pelos eventuais danos ou prejuízos, de qualquer natureza, que possam decorrer da utilização deste conteúdo, por qualquer meio ou processo, e para quaisquer fins.

Gostou? Então ajude a divulgar. Compartilhe!
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

To Top