Automóvel

Você sabe o uso correto de cada tipo de farol do carro?

Gostou? Então ajude a divulgar. Compartilhe!

Antes de abordar as situações em que o uso dos faróis auxiliares é permitido, é importante salientar a diferença entre os faróis de longo alcance, também conhecidos como de milha, dos faróis de neblina. O primeiro tipo pode ser utilizado em centros urbanos desde que estejam ligados ao circuito do facho alto dos faróis regulares, ou seja, não podem ser acionados de forma independente.

Entretanto, vale ressaltar que o uso destes faróis de longo alcance só pode ser feito em ruas sem iluminação ou sem trânsito contrário, visto que os mesmos podem cegar e confundir o outro motorista. Dessa forma, são adequados para iluminar grandes distâncias, como em rodovias.

Por outro lado, os faróis de neblina podem ser acionados de forma independente de outras fontes de iluminação, sendo que suas lentes podem ser brancas ou amarelas, mas as lâmpadas devem ser brancas. Este tipo de farol produz um facho de luz mais largo, porém, que ilumina em pequenas distâncias.

Além disso, a sua instalação deve ser feita em uma posição mais baixa do veículo, a não menos de 25 cm do chão, visto que dessa maneira este tipo de farol conseguirá iluminar a via por baixo da neblina. São indicados também em situações de poeira, chuva e fumaça.

Salienta-se que não é uma atitude adequada desligar os faróis de facho baixo e usar apenas os faróis de neblina, já que estes possuem um alcance bem menor, sendo ideal usar os dois juntos.

Por fim, mas não menos importante, vale ressaltar que o acionamento da luz de neblina traseira só deve ser feito em situações de chuva forte ou neblina. Isso se deve ao fato que este farol possui a mesma intensidade das luzes de freio e por isso, pode confundir os motoristas que estão atrás.

Rosana de Carvalho – Site PaNoRaMa

Gostou? Então ajude a divulgar. Compartilhe!
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

To Top