Cães & cia

Pseudociese – a gestação psicológica em animais domésticos

Medica Veterinária Jackelyne Dutra - Foto: Vânia Santana
Gostou? Então ajude a divulgar. Compartilhe!

Colunista: Jackelyne Dutra – CRMV-GO 05767

A falsa gestação ou pseudociese é uma síndrome em que o animal tem sinais parecidos com o pré, peri e pós parto. Há distensão do abdômen, desenvolvimento das glândulas mamárias, produção de leite, corrimento vaginal mucoide, proteção de áreas fechadas e atitudes maternas com relação a certos objetos. É normal que a fêmea fique agressiva durante a pseudociese, assim como na gravidez “de verdade”. Algumas chegam a fazer a auto sucção, que significa sugar o próprio leite, mas o proprietário não deve deixar que ela fique se lambendo.

Podem ocorrer um ou todos os sinais, os quais se manifestam de 6 a 14 semanas após o cio.

A pseudociese é caracterizada por algumas mudanças hormonais parecidas com a prenhez e ocorre mais em cadelas do que em gatas, pois as gatas são induzidas à ovulação no momento da cópula.

Acredita-se que a concentração de prolactina plasmática demasiadamente elevada após o período de ovulação pode desencadear o processo da lactação e manutenção do corpo lúteo, que por sua vez secreta progesterona (hormônio responsável por manter a gestação), onde esta permanece elevada mesmo na ausência de prenhez.

Além do período pós-ovulação, existem outras situações as quais a fêmea pode desenvolver a pseudociese:
durante e após o término de um tratamento com progestágenos (hormônios similares à progesterona); após um tratamento com prostaglandina (estrógeno e progesterona); cerca de 3 a 4 dias após a castração total da fêmea.

Em todos esses casos, há uma exposição à progesterona e um posterior decréscimo no nível desse hormônio.

Acredita-se que a pseudociese tenha sido herdada pelos ancestrais do cachorro, que em matilha, permitia que a fêmea dominante fosse capaz de caçar enquanto seus filhotes eram amamentados por outras fêmeas do grupo.

Não são fatores predisponentes faixa etária, raças ou porte físico, também não há interferência ao se tratar de fêmea nulípara (nunca pariu) ou plurípara (várias ninhadas).

Se sua cadela ou gata estiver com pseudociese, o melhor a fazer é deixá-la no seu canto, respeitar esse momento dela e não desfazer os ninhos e nem fazer com que ela se sinta acuada ou agressiva.

A única maneira de evitar a pseudociese é castrando as fêmeas, pois a cirurgia de castração retira todo o seu aparelho reprodutor, parando assim a produção de prolactina, que é um dos principais hormônios da gestação, tanto real quanto psicológica. Além disso, a castração evita outras doenças nas fêmeas, como mastite, piometra, tumores mamários e etc…

Caso suspeite que seu animal tenha pseudociese, leve-a no veterinário. Só um especialista pode fazer um diagnóstico e tratamento correto.

Colunista: Jackelyne Dutra – CRMV-GO 05767
Revisão: Rosana de Carvalho
Jornalismo Portal Panorama

Aviso importante:
O conteúdo exibido nesta seção (COLUNA), apresenta caráter meramente informativo. O Portal PaNoRaMa não se responsabiliza pelo conteúdo dos colunistas que assinam cada texto, nem pelas decisões baseadas nas opiniões e recomendações contidas nesta seção. Assim, o Portal PaNoRaMa se exime de qualquer responsabilidade pelos eventuais danos ou prejuízos, de qualquer natureza, que possam decorrer da utilização deste conteúdo, por qualquer meio ou processo, e para quaisquer fins.

Gostou? Então ajude a divulgar. Compartilhe!
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

To Top